José Joaquim Monteiro

Versão para impressão

 

De seu nome José Joaquim Monteiro, este beirão nasceu a 10 de Fevereiro de 1913 no concelho de Tabuaço, mais precisamente na freguesia de Pereiro, tendo sido criado em Estarreja, no distrito de Aveiro.

Verdadeiro andarilho, com apenas 5 anitos emigrou para o Brasil na companhia da avó paterna, tendo por permanecido até aos 11 anos, altura em que regressou a Portugal, tendo, em Lisboa, trabalhado como marceneiro.

Homem simples e sem grandes estudos, era, porém, dotado duma rara sensibilidade e uma enorme vontade de vencer. Nada o desanimava e ao longo da vida evidenciou sempre capacidade para, nas adversidades encontrar, numa lufada de humor, algo de positivo. O cumprimento do serviço militar levou-o a Macau onde chegou em 2 de Novembro de 1937. Era soldado corneteiro da Companhia de Metralhadora, instalada no Quartel de S. Francisco. Daí ser também conhecido pela designação de “o poeta-soldado”.

 

Constituiu família em Macau, tendo regressado a Portugal em 1946/7. As dificuldades da vida e as saudades da nossa pérola do Oriente fizeram que, no início da década de cinquenta, acompanhado da família regressasse a Macau. Aqui foi homem dos sete ofícios. Trabalhou na SOTA, companhia de navegação que assegurava as ligações entre Macau e Timos; depois passou para a Padaria “Sortes”, até que conseguiu ingressar nos Serviços de Educação e tendo sido colocado no Liceu, onde exerceu as funções de contínuo, aposentado-se em 1972.

Dotado de grandes espontaneidade para versejar, deixou-nos vários livros com quadras salpicadas de humor. São de sua autoria os seguintes títulos, todos eles publicados em Macau: “A minha viagem para Macau” (1939), “Histórias dum soldado” (1940), que mereceu quatro edições, “De volta a Macau” (1957), com 2ª edição em 1983, “Macau vista por dentro” (1983) e “Anedotas, contos e lendas” (1989).

A este bom homem, que a 22 de Fevereiro de 1988, viria falecer em Macau, foi concedida quatro anos antes a Medalha de Dedicação.

 

Qui Nova?!...

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA
Convocatória

Nos termos da alínea b) do ponto 3 do artigo 9º dos Estatutos da Casa de Macau, conjugados com a alínea a) do artigo 11º do Regulamento Geral, convoco a Assembleia Geral Ordinária, para reunir, nas instalações da Av. Almirante Gago Coutinho, nº 142, em Lisboa, pelas 17H30 do dia 30 de Novembro de 2017, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

§ Único – Apreciação e votação do Plano de Actividades e Orçamento para o ano de 2018.

Não se verificando o quórum necessário nos termos do disposto no nº 3 do artigo 9º do Regulamento Geral, a Assembleia Geral Ordinária reunirá, em segunda convocatória, às 18H00, com qualquer número de sócios.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Vítor Serra de Almeida

Lisboa, 02 de Outubro de 2017.

Ler mais...