Henrique Rodrigues de Senna Fernandes

Versão para impressão

 

Natural de Macau onde nasceu em 15 de Outubro de 1923, licenciou-se em Direito em 1952, na Universidade de Coimbra, terra que o marcou profundamente e o moldou no sentido de se deleitar com os prazeres da vida que, como uma vez disse, lhe "permitiram gozar o delicioso perfume das magnólias".

No início dos anos cinquenta, regressou à sua amada terra. Exerceu a advocacia e a docência, o que lhe permitiu lidar com centenas de jovens macaenses os quais, dada a sua capacidade nata para comunicar, soube cativar e incentivar, de forma indelével, na prossecução de estudos. Todos os seus antigos alunos o recordam com saudade.

 

Foi professor no Liceu de Macau, à data denominado, "Infante D. Henrique", assim como na Escola Comercial "Pedro Nolasco", de que, durante largos anos, foi também Director.

 

Paralelamente esteve ligado a actividades de carácter social, cívico, cultural, desportiva, pelo que não surpreende ter desempenhado, entre outros, os cargos de Presidente do Rotary Club de Macau, da Assembleia Geral da Associação Promotora de Instrução dos Macaenses, da Associação dos Advogados de Macau, Director das Bibliotecas "Nacional de Macau" e da "Sir Robert Ho Tung", do Centro de Informação e Turismo, etc., tendo sido também membro do Conselho Consultivo do Governador de Macau.

Autor de nomeada, os seus livros têm a particularidade constituírem verdadeiras "fotos-sociais" da comunidade macaense que, com invulgar doçura adoça e que num desenvolto frémito exalta.

Figura grada da Literatura Macaense, são de sua autoria "Nan Van - Contos de Macau" (1979), "Amor e dedinhos de pé", "Trança feiticeira" e, "Mong-Há" (1998), Sócio Honorário da Casa de Macau, possuia diversas condecorações, quer do Governo de Macau, quer de Portugal, sendo sócio de Academias e instituições similares.

Amante confesso da sétima arte, Senna Fernandes foi dos poucos autores portugueses que se pôde orgulhar de ter dois dos seus livros transpostos para a tela, como já sucedeu aos seus títulos: "A Trança Feiticeira" e "Amor e dedinhos de pé", adaptados ao cinema, com reconhecido êxito e grande aceitação do público.

Faleceu em Macau, a 4 de Outubro de 2010, vítima de doença prolongada.

Qui Nova?!...

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA
Convocatória

Nos termos da alínea b) do ponto 3 do artigo 9º dos Estatutos da Casa de Macau, conjugados com a alínea a) do artigo 11º do Regulamento Geral, convoco a Assembleia Geral Ordinária, para reunir, nas instalações da Av. Almirante Gago Coutinho, nº 142, em Lisboa, pelas 17H30 do dia 30 de Novembro de 2017, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

§ Único – Apreciação e votação do Plano de Actividades e Orçamento para o ano de 2018.

Não se verificando o quórum necessário nos termos do disposto no nº 3 do artigo 9º do Regulamento Geral, a Assembleia Geral Ordinária reunirá, em segunda convocatória, às 18H00, com qualquer número de sócios.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Vítor Serra de Almeida

Lisboa, 02 de Outubro de 2017.

Ler mais...